Roberto Magalhães | Observador de tudo | 23 mar - 28 abril | 2012

Não há como deixar de reconhecer em Roberto Magalhães - no ano em que completa 50 anos de ofício - que estamos diante de um Artista radicalmente contemporâneo.

O Artista do nosso tempo é alguém comprometido com a sua liberdade duramente conquistada. Liberdades que se revelam por inteiro no caso de RM; a rara e imensa variedade que é capaz de imprimir no terreno da criação, no uso dos materiais, nos suportes,  na diversidade dos (pre)textos, na dessemelhança das abordagens, na sua cabeça e risco solto, na urdidura cuja a trama é insoldável. Olhares de um único olhar.

A sua inventiva é sempre mais e mais inesperada, esse estranhamento resulta do seu firme ânimo de encarar o ignorado, de compor vínculos insólitos, metáforas impensáveis, sobressaltos de uma densa poesia. Sem se utilizar, em instante algum ao longo da sua carreira, de artifícios ou concessões. Fiel a si. Coerente com a sua independência.

O consumo e fruição degrande parte dos seus trabalhos tem privilegiado os magníficos "rostos e arranjos florais",  renegando por outro lado, toda a diversidade do processo criativo que pelo acento da sua qualidade estética, merecem se fazer conhecer em uma outra exposição.
A Mul.ti.plo se reúne a celebração dessas inúmeras novidades, a fim de derramar o susto ótico provocado, em nós, pelos desenhos desse jovem de 50 anos de estrada. Laborando todos os dias, senhor de si, solitário: observador de tudo!