Fernanda Junqueira | Aquarelas Submersas | 19 fev - 20 mar | 2014

As cores emergem da água. De uma piscina em tons de azul. A artista plástica Fernanda Junqueira mostra, a partir do dia 18 de fevereiro na Mul.ti.plo Espaço Arte, sua série Aquarelas submersas, com 30 obras realizadas a partir de 2012 com uma técnica de “mergulho”: a imersão de um papel especial em uma pequena piscina de tinta.

  “Comecei com pequenos estudos e pesquisa de materiais, com tintas apropriadas e papéis de aquarela que fossem maleáveis para os mergulhos, como os de 100% algodão. Assim as aquarelas são o resultado desses mergulhos, alternando água e tinta, explica Fernanda. Naquele ano, a artista – acostumada a trabalhar com objetos e esculturas – desenvolveu a piscina em acrílico e a encheu de água e tinta de aquarela. Mergulhando o papel, via surgindo formas sinuosas, ora fortes, ora mais claras, mas sempre dando a sensação da profundidade da água. “É como fazer o registro da água no papel, a marca da água… Como ondas azuis do mar batendo na areia”, define. São 30 trabalhos em pequeno (56cm x 75cm), médio (1.15m x 1,15m) e grande (1,15m x 1.50m) formatos , em muitos tons de azul.

Esta série deu origem à instalação Jardins submersos: um espaço líquido, um dos quatro projetos selecionados pelo Prêmio Projéteis Arte Contemporânea 2013, da Funarte, e que estará em exposição em maio.  Inspirada no jardim de Burle Marx localizado no terraço do Palácio Capanema, a instalação transpõe as formas dos canteiros no mezanino do prédio, recriando um “jardim líquido”. Um jardim que teve origem na piscina de azuis de Fernanda Junqueira – e que, neste Rio 40º, estará refrescando as paredes da Mul.ti.plo Espaço Arte.