Um corpo impermanente | José Pedro Croft | Galeria Raquel Arnaud SP em parceria com a Mul.ti.plo | 08 nov - 26 jan

Um corpo impermanente | José Pedro Croft | Raquel Arnaud SP em parceria com a Mul.ti.plo | 08 nov - 26 jan

José Pedro Croft, artista português de reconhecido prestigio na Europa, expõe na Galeria Raquel Arnaud em parceria com a galeria carioca, Mul.ti.plo Espaço Arte, os seus trabalhos mais recentes e inéditos.

Para a ocasião, Croft escolheu ocupar o subsolo da galeria. Esse espaço o interessou de imediato, pelas singularidades que o lugar possibilita e traz.

O nome da exposição escolhido foi “Um corpo Impermanente” em que apresenta dois desenhos, três gravuras e duas esculturas, todos os trabalhos conversam com a arquitetura e com o espaço.

São vetores que se completam e se anulam simultaneamente, como corpos em construção, compostos por planos e linhas; transparências e espelhamentos.

Os trabalhos bidimensionais, desenhos e gravuras, tentam fixar uma forma e delimitá-la, “trabalho inglório, pois ainda não é, ou que já não é”, explica o artista. É na verdade, uma mesma estrutura que se repete e altera incessantemente, num caminho que se pretende estreito para daí ampliar tantas possibilidades.

Há na mostra uma escultura de canto em cruz, que se agarra à arquitetura como uma espécie de prótese. Os vazios e os espelhos rebatem e multiplicam a estrutura, deslocando porções de espaço.

Uma segunda escultura de grande escala, é como uma coluna, uma construção também de cruzamentos de dois planos transparentes, que se erguem de forma oblíqua e inestável, a partir do chão, quase tocando o teto. Elementos em vidro delimitam o espaço “interior” desta cruz, jogos de falsas simetrias, de obstrução com transparência e reflexos.

O crítico Luiz Camillo Osório olhando suas obras recentes, vê a presença de um pensamento arquitetônico às avessas, em que a gravidade é enfrentada em nome da leveza e de uma espécie curiosa de fabulação material: no qual os materiais usados parecem contrariar sua vocação original e assumem sempre uma perversão espacial, apostando nos vazios e nos espelhamentos, nos fazendo ver possibilidades do material e do espaço a sua volta, que de inicio pareciam-lhes vedadas, completa o professor.

Galeria Raquel Arnaud

Exposições: Um Corpo Impermanente, de José Pedro Croft

Abertura: 08 de novembro, às 19h

Visitação: de 09 de novembro de 2018 a 26 de janeiro de 2019 De segunda a sexta, das 10h às 19h, sábado, das 12h às 16h.

Rua Fidalga, 125 – Vila Madalena – Fone: 11. 3083-6322