Múltiplos + Múltiplos | 9 nov - 7 jan | 2011

Os papéis do papel: uma perspectiva contemporânea

O ponto de partida: celebrar um ano de vida da Galeria Mul.ti.plo. Essa celebração reúne e relaciona obras de arte e pessoas na exposição Múltiplos + Múltiplos. Tudo múltiplo e diverso. E isso é muito bom, pois faz sentido em uma era de muita gratuidade.
As escolhas: o papel é um suporte múltiplo. Ele pode veicular diversas linguagens visuais. Pinturas, desenhos, impressões, colagens, fotografias e mesmo esculturas podem ter como suporte esse material milenar. Assim, apresentar nessa exposição obras em papel já é, em si, uma escolha. Ela não é a única escolha: impressões sobre papel produzidas pelo pintor catalão Antoni Tàpies – com um conjunto de litografias – e pelo escultor norte-americano Richard Serra – que apresenta gravuras em metal – definem um padrão de qualidade e de diversidade. A essas escolhas se soma a apresentação de obras impressas em litografia de Leon Ferrari, um grande artista multimídia argentino. A essas escolhas se agregam obras de artistas brasileiros tais como Vergara, Venosa, Roberto  Magalhães, Cafi, Maria Carmen Perlingeiro, Teresa Salgado e Ricardo Becker. Nada mais apropriado para demonstrar, de modo sutil, uma aversão ao provincianismo ufanista tão em voga no país.
O compromisso: a qualidade das obras deve, em princípio, conduzir à qualidade das pessoas que com elas se relacionam. Essa mostra, portanto, investe de modo também sutil nessa ampliação do espectro da qualidade. E isso importa. E muito.

George Kornis